• Autotelic Lab

Conheça o Processo Fotográfico Alternativo | Mordançage



Um seguidor recentemente me perguntou sobre uma obra antiga que eu tinha compartilhado, questionando se eu havia feito o processo de Mordançage pra obter o resultado estético final.

Comentei pra ele que não, que na verdade, essa era uma foto revelada de gaveta que eu tinha e que usei um processo autotélico pra brincar com essa obra.

Uma placa de vidro, tinta guache preta e branca jogadas de forma aleatória, óleo, café e depois coloquei a foto sobre essa mistura na placa de vidro e quando secou, meio que “esculpi” com um estilete e então, escaneei. Essa aqui embaixo, foi a obra que ele questionou que eu havia feito.

Mas o ponto não é esse, não mesmo.

Esse foi só um GATILHO pra falar e propor um estudo pra vocês, sobre esse processo Fotográfico alternativo INCRÍVEL, CRIATIVO E ABSTRATO que é o Mordançage.

Pois bem, explorar essa técnica :)

O que é?

A MORDANÇAGE É UM PROCESSO FASCINANTE E ARCANO que data do final de 1800 e raramente é encontrado nos livros didáticos de hoje. E te digo, eu fucei essa internet TODAAAAAAAAA e existe pouquíssimo material disponível.

Esse processo, foi chamado por nomes diferentes quando foi descoberto: bleach-etch, etch-bleach, alívio de gelatina e alívio reverso são alguns dos termos usados. O processo foi originalmente projetado para ser usado em filme e não em papel. Era um método de reverter um filme negativo para positivo. Originalmente descoberto por Liesegang em 1897, um homem com o nome de Andresen aprimorou a fórmula de Liesegang em 1898 substituindo peróxido de hidrogênio pelo persulfato de amônio usado por Liesegang, e essa é a fórmula que usamos hoje. Então Jean-Pierre Sudre cunhou o termo 'mordançage' e o transformou em uma forma de arte usando impressões. 


Onde posso usar esse tipo de técnica?

Você pode usar o processo em impressões terminadas anteriormente ou em impressões novas que você acabou de desenvolver. De fato, você pode manipular uma impressão logo após o desenvolvimento e antes da correção.

As melhores imagens para esse processo são aquelas com pretos ricos, como fundos escuros ou padrões super detalhados, como renda preta ou ferro forjado.


O que acontece com a impressão no processo de mordançage?


Uma solução de branqueamento de ácido-cobre é usada para branquear e dissolver partes da imagem prateada. Deixa a impressão em relevo reverso. Ocorre proporcionalmente às partes escuras  também - quanto mais escura a área, mais dissolução. Com um pouco de fricção, a camada de gelatina de prata metálica solubilizada se desprende da impressão e deixa os brancos em relevo reverso onde antes estavam os escuros. Em seguida, com o redesenvolvimento, a tonalidade ou o tingimento, a imagem reaparece como parte positiva e parte negativa, ou toda negativa.

A fricção produz uma imagem invertida ou mais negativa, mas, na maioria das vezes, permanece positivo, porque os realces originais na impressão geralmente não se dissolvem. Se houver grandes áreas escuras na impressão (por exemplo, um fundo preto), com peróxido forte o suficiente, essas áreas se tornarão onduladas, como véus. 

Se você for cuidadoso ao esfregar e lavar, esses véus poderão permanecer presos, embora com tenacidade, aos pontos de contraste entre os realces mais ancorados e as áreas de sombra destacadas. Após a secagem, os véus de gelatina aderem novamente à superfície de impressão e permanecem na posição.


Em outras palavras, de forma visual: UMA ABSTRAÇÃO LÚDICA E LINDA PRA CACETE!

No Mordançage você tem muitas LINDAS possibilidades.


Químicos utilizados

O processo químico não é TÃOOOOOOO complicado. A maioria dos químicos são super fáceis de achar com exceção de 1 deles.

Basicamente a lista de componentes é:

Água, Cloreto de cobre, Ácido acético glacial (um dos componentes do vinagre) e peróxido de hidrogênio (nossa famosa água oxigenada)

Ou seja, com exceção do Cloreto de Cobre, os outros componentes você acha e tem acesso super facilmente. Achei cloreto de cobre no mercado livre e em breve vou encomendar e testar. 

Claro que por conta da COVID-19, estou com dificuldade em fazer/ receber por delivery meus prints, mas eu achei essa técnica fantástica e exatamente o equilíbrio entre pintura/ fotografia que eu procuro há anos! 

Logo testarei esse processo fotográfico e ai vou compartilhar com vocês todo o processo químico, gambiarras e alternativas possíveis pra realização da Mordançage.


IMPORTANTE: Caraaaaaa, se você se interessa por esse processo, é essencial todo material de proteção POSSÍVEL, porque as partículas (principalmente do cloreto de cobre) são tóxicas à inalação ok? Sempre use luvas, trabalhe fora sempre que possível ou use um respirador com filtro duplo. Eu sugiro que você pesquise no Google todas as substâncias químicas envolvidas para desenvolver um processo artístico saudável. :)


PRA CONTEMPLAR:

Ilustrei essa publicação com uma artista incrível que utiliza essa ténica: Elizabeth Opalenik!

QUE TRABALHO I N C R Í V E L, tenho que reforçar isso.  Ela prendeu o processo de Mordançage com Jean-Pierre Sudre pro volta de 1983. Desde então, mudou e adaptou a técnica voltada pra sua linguagem (autotélica, não?).

Procurem ela nas redes sociais e contemplem o trabalho incrível que ela desenvolve com essa técnica. Redes sociais dela: SITE | INSTAGRAM

E aí, você já conhecia o Processo Alternativo de Mordançage? 


Conta pra gente o que achou

E aaaaah, se curtir indica aquele amigo que vai adorar essa técnica aqui, também.

6 visualizações

Autotelic Lab
Endereço: Av. Comendador Thomás Fortunato, 2000 | Americana / SP

CNPJ: 17.627.070/0001-77

Email: oi@autoteliclab.com

Telefone: (19) 3465-4232
 

 

@2020 Autotelic Lab | Adi Korndorfer | Mariana Montrazi

  • Pinterest
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook